19/07/2018

Como estimular seus filhos a começarem a falar?

Dicas, Fonoaudiologia

Muitos pais demonstram preocupação com a idade em que seus filhos começam a falar, epedem dicas para ajudar o desenvolvimento dos pequenos. Por isso, reunimos algumas orientações que podem estimular as crianças neste momento.

– Ficar atento com o desenvolvimento neuropsicomotor de seu filho, observar suas evoluções e passagens das fases do desenvolvimento fisiológico;

– É muito importante o seu filho vivenciar todas as fases do desenvolvimento sem pular uma delas, ou seja, rolar, rastejar, sentar, engatinhar e andar. Normalmente há datas esperadas para cada fase acontecer;

– A amamentação deverá ser exclusiva até os seis meses de idade, após essa idade a introdução dos alimentos deve ser supervisionada com o pediatra. Se houver qualquer dificuldade durante a amamentação entre mãe e filho, uma consulta com um profissional de fonoaudiologia pode ser de grande importância para uma melhor adaptação.

– Estar atentos em relação a capacidade auditiva e comportamental da sua criança;

– Chupeta ou mamadeira: tenha em mente que são hábitos prejudiciais, mas, se a criança utilizar, devem ser retirados até os dois anos e seis meses de idade, evitando futuros problemas posturais e orofaciais, como postura inadequada de língua e lábios, alterações respiratórias, mastigatórias e da comunicação oral.

Categorias

A Utoc

UTOC é uma clínica de saúde que cujo objetivo é oferecer o atendimento integral ao nosso paciente, proporcionando uma visão global de seu tratamento. Por esse motivo nossas especialidades envolvem Odontologia, Acupuntura, Osteopatia e Fonoaudiologia.

22/05/2018

Por que os dentes entortam?

Dentes tortos precisam de tratamento ortodôntico, com o uso de aparelhos corretivos. Eles agem no posicionamento dos dentes, forçando-os para que se alinhem corretamente. Entenda os fatores que determinam os dentes desalinhados.

Leia o artigo

25/04/2017

Estomatologia

É a especialidade da odontologia que trata que trata das “ doenças que aparecem na boca” bem como avaliar as alterações bucais de doenças sistêmicas.

Leia o artigo